Como lidar com problemas de saúde devido ao excesso de trabalho?

4 minutos para ler

O trabalho faz parte das preocupações do dia a dia de qualquer pessoa. Talvez justamente por isso seja difícil identificar quando essas preocupações de fato se transformam em uma série de complicações.

Durante muito tempo diversos problemas de saúde devido ao trabalho excessivo não eram reconhecidos por médicos, psicólogos e psiquiatras. Hoje, no entanto, já se sabe que o excesso de trabalho faz mal para a saúde e pode trazer uma série de contratempos para o cotidiano.

Boa parte das pessoas que são diagnosticadas com doenças decorrentes do excesso de trabalho, além de tomar alguns medicamentos, precisam mudar radicalmente seu estilo de vida.

Para quem não conhece quais são essas doenças e como lidar com os problemas de saúde devido ao trabalho excessivo vale a pena conferir!

Síndrome de burnout

A síndrome de burnout foi recentemente descrita pela medicina e efetivamente considerada uma doença. Durante um bom tempo médicos e até psicólogos não reconheciam que uma dose excessiva de estresse poderia trazer consequências danosas à saúde.

Trata-se, de maneira simplificada, de uma resposta agressiva do corpo resultante de uma carga excessiva de estresse.

Essas respostas podem ser desde pressão alta até crises de enxaqueca, depressão, colesterol alto, gastrite, síndrome do pânico, crises de ansiedade, insônia, alergias, entre outras.

Problemas na coluna

Ficar sentado durante horas e horas, sem cadeiras e mesas adaptadas ergonomicamente, contribui para o aparecimento de graves problemas de coluna.

Tendinite, dores principalmente na lombar e cervical e as famosas LER (lesões por esforço repetitivo) são dificuldades comuns de quem trabalha na mesma posição, realizando movimentos repetitivos que acabam gerando desgaste e, consequentemente, terminam em dor.

Problemas respiratórios e de pele

Assim como quem trabalha nos escritórios deve ter equipamentos ergonomicamente adequados, quem atua em funções envolvendo a manipulação de produtos químicos ou nocivos à saúde também deve ter alguns cuidados que devem ser proporcionados pelo empregador.

Fatores que se enquadram nas categorias de insalubridade e periculosidade devem ser observados pela empresa para evitar possíveis demandas judiciais dos funcionários. 

Manipular produtos nocivos pode trazer consequências sérias ao sistema respiratório e também à pele. Por isso, além de cargas horárias controladas, a exposição a esses agentes deve ser totalmente supervisionada, além de contar com equipamentos de proteção a fim de evitar problemas ao trabalhador.

Lidando com problemas de saúde devido ao trabalho excessivo

Muitas pessoas negligenciam os problemas de saúde devido ao trabalho excessivo, pois frequentemente estão em momentos críticos onde precisam priorizar a situação financeira em detrimento da saúde.

No entanto, o que acontece na maioria dos casos é que, quando a pessoa não revê seus hábitos e seu dia a dia, os problemas de saúde acabam fazendo com que o indivíduo pare à força.

Em geral, as crises são administradas com medicamentos receitados pelo médico, mas o verdadeiro tratamento consiste na mudança real de hábitos e da rotina.

A prática de exercícios físicos, regularidade do sono, bons hábitos de alimentação e carga controlada de trabalho costumam ser o remédio mais eficaz para evitar os problemas citados neste artigo.

Nem sempre o empregado conta com uma estrutura de apoio no ambiente profissional, já que nem todas as empresas contam com um médico do trabalho ou mesmo com uma CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes). Muitas vezes os gerentes e até mesmo o RH estão despreparados para esse tipo de demanda e nesses casos o ideal é buscar auxílio de um médico especializado, mesmo que externo.

As doenças decorrentes do excesso de trabalho não devem ser menosprezadas e devem ser tratadas como qualquer outro problema de saúde: com seriedade.

Você já sabia que o excesso de trabalho pode trazer problemas à saúde? Quer saber mais sobre como promover um ambiente de trabalho mais saudável? Então assine nossa newsletter e saiba mais!

Você também pode gostar

Deixe um comentário